Sobre o futuro, os homens… e eu!

Recentemente meu 3º namoro acabou. Diferente do 1º eu não me imaginava velhinha ao lado dele, não tínhamos planos a médio e longo prazo. Isso provavelmente por que ele tem 19 anos e não tem que se preocupar com isso. Por que eu não tinha mais certeza do que queria pro meu futuro. Ou talvez, por uma total descrença em algo pra sempre. Uma amiga disse sexta “é difícil amizades serem pra sempre” mesmo aquelas que você tem certeza que seriam.

As pessoas buscam suas almas gêmeas, e pensam que elas vão ser o homem/mulher da sua vida, os pais dos seus filhos, com quem viverão por toda a eternidade. Pois eu nunca acreditei neste termo, mesmo sendo romântica à vera. Até o dia que conheci um cara e me dei conta, meses depois, que ele é minha alma gêmea. Nós ficamos durante menos de um mês. Não era pra ficarmos juntos. Planejamons nosso apartamento, nossos filhos, e nunca chegamos nem perto de tirar isso da janela do MSN. Mas como amigos, éramos impossíveis, insuportáveis, imparáveis. Até que ele se tirou da minha vida, e eu perdi minha alma gêmea. Nunca vou ter uma conexão com outra pessoa como tive com ele.

Daí chego na questão do futuro: nunca mais, mesmo, terei essa conexão com outra pessoa? E aí, vou ser solteira pra sempre? Eu já tive minha cota de conexão cósmica? Eu, que amo amar, posso então me jogar da ponte! Pois bem, vamos então deixar a alma gêmea pra lá e pensar no homem da minha vida.

Que isso?

Como e quando essa criatura mágica aparece? Quando a gente se beijar vou ouvir sinos? Ver estrelas? Ou simplesmente pensar “que beijo bom” quiça, nem isso. Eu não quero me casar antes de ser estável financeiramente com 60 anos mas e se esse cara que seria perfeito surge quando eu tenho 20 anos e não estou pensando em casa, filhos, cachorro, papagaio? Vou falar “escuta, cara, acho você fodão, mas volta em uns 10 anos?” pois a vida não é assim, não posso controlar o futuro dos outros.

Chegamos numa outra questão: vamos supor que o cara certo surja na idade certa, no momento certo. Mas, e se a garota certa dele for aquela vadia, que você nem conhece, mas com certeza, é uma vadia.

E se ele não quiser casar? E se ele for gay? E se ele simplesmente não gostar de você?

Bom, cheguei em outro momento de me jogar da ponte! Sem alma gêmea, sem homem da vida… Vou conseguir viver, claro, afinal sou mulher moderna, intependente, desapegada, mas também sou romântica e não quero acreditar numa vida sem amor, sem amar, sem ser amada.

luv

Me resta sossegar e esperar que um homem apareça na hora certa, queira se casar, ter filhos, que seja hetero, que eu escute sinos e veja estrelinhas, e me ame.

Ou só me ame. O resto, dá-se um jeito.

8 comments

  1. Liu · August 17, 2009

    Mafrinha… se eu te conto… aiai

    hahaha

    eu tenho um amor pra vida, saca? aquele que podem passar anos de distância e a gente se encontra com a saudade e com a mesma conversa de quando nos vimos da última vez.
    os olhos brilham, dá frio na barriga, a mão soa… mas nunca daríamos certo juntos…

    e aí? vou chorar? eu amo! não preciso deixar de amar… mas a vida segue… a banda passa e quando a tpm bate dá aqueles 5 minutos de “queria ter alguém pra ver um filminho comigo”

    mas tirando isso, não acho justo colocar a minha felicidade nas mãos de alguém… então não fico triste pela falta de alguém…

    sei que vc não é igual a mim e que seu romantismo não é igual ao meu… mas força… seu amor pra vida vai aparecer – ou já apareceu – e vai ver que isso é diferente do simples querer pra si ;)

  2. Vanessa V. · August 17, 2009

    os apelos funcionaram! viva!

    peno que num momento tão uó!

    mas, pensa que tem gente(oi! eu!) que aos 25 anos, nunca teve namorado. apenas casos físicos rápidos. e eu não sei se já encontrei minha alma gêmea, mas achei um homem que certamente tem o lugar de homem da minha vida. veio e passou. eu não agradei. e vivo frustrada. e o pior, eu TENHO que conviver com ele, e sentir o cheiro dele e conversar politicamente com ele e, eventualmente, terei que ver ele e sua bela da vez por ai. ou seja, uma mèrde.

    não tenho palavras reconfortantes pra vc. tá todo mundo muito raso por esses tempos e eu acho isso bem podrinho pra falar a verdade. eu sei que eu não gosto de ter 10 homens em um ano(se eu ainda tivesse essa marca…hahaha) eu queria viver um romance de verdade, mas hoje está todo mundo com pressa. sobra pouco espaço pra gente como a gente. tenho medo.

    fato que eu estou exercitando o desapego, coisa que nunca fiz, e tinha certeza absoluta que não aconteceria. talvez seja o melhor. amar por umas horas e só. seccionar o sentimento e não direcionar pra um relacionamento, mas pras coisas esporádicas que aparecem por ai, e viver essas, com intensidade. e logo ali na frente, largar a intensidade. não sei se é remédio, sabe. não sei se serei bem sucedida. eu sei que estou tentando. e banalizando o amor. tudo errado!

    ser adulta me dá confusão mental!haha

  3. @anarina · August 18, 2009

    Você vai ter muitos amores na sua vida, Elisa! Não se preocupe. E também não espere, nem procure, vá vivendo a sua vida e aproveitando todas as pessoas que têm coisas boas para te oferecer!

  4. Júlia Reis · August 18, 2009

    Amore,
    Minha mãe um dia me disse, no meio da minha fossa, que “cada amor é de uma pessoa”. O que você sentiu por essa pessoa foi só por ela. Em um próximo relacionamento você vai sentir algo diferente e também único. Deixa esfriar essa perda que o espaço para um p´roximo amor vai aparecer. Beijos, flor.

  5. Thiago · August 18, 2009

    “Nunca vou ter uma conexão com outra pessoa como tive com ele.” – ok acho isso coisa de gente hipócrita alejada. sahusahusauh. zueira. meu. como vc fala q nunca mais se vc nem conhece a pessoa q vai casar e tal? tudo pode acontecer, minha filha.
    vai tudo dar certo! uma hora aparece! só fica bem até lá!

  6. Vanessa V. · August 19, 2009

    gente, vendo de outra perspectiva, meu comentário foi muito mimimi.(e longo…oh, my!hahaha sorry!)

    mas, apesar do mimiliismo, ser adulta continua me dando confusão mental!

  7. Juju · August 21, 2009

    Eliseeenha,
    Você sabe bem como penso em relação as coisas.
    Devo concordar que a ligação que você teve com aquele cara foi única, mas sabemos muito bem hoje que nunca sairia de uma amizade loooooouuuuca.

    Sobre o presente, vai passar, é estranho voltar a solteirice, mesmo porque você adora namorar, hehehe.
    Mas não racionalize demais, nem crie medos. Não acredito que exista um “homem da vida”, mas sim pessoas legais e interessantes que preencheram esse papel por determinados períodos.

    É só não ficar afoita (ok, eu sei que é impossível sendo você, hehehe)

    bjão

  8. Deh · August 23, 2009

    Mafrinha, eu não acredito que tenhamos só uma alma gêmea. Seria injusto conosco e com ela… já pensou se ela não nos encontra também? Hoje, com 36 anos vividos e doídos, creio que possamos ter grandes amores, diferentes, enormes, desafiadores… não um grande e único. A gente vai amando conforme a vida vai mudando. Novos amores sempre surgem para curar as feridas dos antigos. Eu costumo dizer que o coração é o nosso órgão que mais se regenera. E o que nos faz vivos é justamente essa nossa infinita capacidade de amar de novo, um amor novinho e lindo, que vai surgir na sua vida.

    Fica bem.
    Beijinho

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s