Pensando no coletivo

Outro dia peguei o 715-M Largo da Pólvora ônibus que não leva ao Reino do Interney na Rebouças, às 19h. Aquele está no TOP 3 ônibus mais lotados que eu já peguei na vida. Estava tão lotado que eu entrei pela porta da esquerda na frente, e lá fiquei grande parte do trajeto, com um dos pés balançando sem apoio.
Num dado momento eu olhei pro lado de lá da catraca e não consegui acreditar no que meus olhos viam: dois bancos vagos. Vazios. Desocupados. Sem bundas depostitadas sobre eles. Quando fui praqueles lados e pedi pra sentar num deles, vi uma mochila sentada no outro. Sim, não uma bunda, uma mochila!
Aquilo me deixou inconformada. Eu sou a única pessoa que pensa que, sentada, eu ocupo menos espaço no ônibus? Minha bunda atrapalha bem menos gente sentada, do que de pé! Não só a minha, como a sua, querido leitor, e a daqueles imbecis que ficaram de pé ao lado dos bancos.
Ok, são só duas pessoas que não queria sentar, já que passaram o dia assim. Se colocassem então longe das poltronas, facilitando o fluxo de bundas em direção aos assentos, e mais: Lugar de mochila é qualquer um, menos banco de ônibus!
O que custa simplificar a vida dos outros que também estão ali, espremidos, cansados e fedidos? Se não quer pensar, minimamente, nos outros, compre logo uma hummer pra andar sozinho poluindo a cidade.

2 comments

  1. Vanessa V. · August 19, 2009

    e o pior, se vc pede pra criatura tirar a mochila dali, a chata é vc!

    bom senso tá faltando, né brasil?!

  2. jean boechat · August 20, 2009

    eu tinha lido ontem. bom. achei que era um post novo! =^D

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s