Never Say Die

~Prólogo~

Depois de mais de um ano sem postagens resolvi voltar pra esse meu canto, como já fiz várias vezes, já não prometo que vou escrever sempre, uma vez por semana, todos os dias. Não, não vou me colocar mais essa obrigação. Já inventei coisas demais pras minhas horas livres de menos e não quero me irritar porque “ah, meu deus, não postei no blog, ó que inferno!”, quero mais “ah, que legal, consegui escrever um pouco”. 

~-.-~-.-~-.-~-.-~-.-~

Volto pra cá pra falar do último livro que eu li, pro Desafio Literário do Tigre, esse mês o tema era Filme ou Livro?. E aí, eu fiz o caminho contrário, escolhi um livro que foi escrito a partir do filme. Tipo, a partir mesmo, algumas falas dos personagens são exatamente iguais às do filme. Os Goonies, lá dos anos 80 foi criado pelo Steven Spielberg, roteirizado pelo Cris Columbus, e dirigido pelo Richard Donner, sempre com Spielby na cola, pra garantir que tudo saísse como ele tinha pensado.

Quase 30 anos depois do lançamento do filme, James Kahn escreveu o livro, contando a mesmíssima história do filme, com tudo que nós adoramos: as armadilhas, o Sloth, o órgão de ossos, só que tudo é contado do ponto de vista do Mikey Walsh, o que já dá uma bela diferença. O filme já é sensacional, a gente já adora todos aqueles moleques, daí lemos o livro e nos sentimos mais Goonies ainda. Eu fiquei muito mais emocionada e motivada pra ir atrás daquele tesouro do Willy Caolho, afinal, estou na pele do Mikey. Vou ser despejado por conta do clube dos ricos metidos da cidade, não vou mais ver meus amigos, nunca vivi nenhuma grande aventura na vida, fico doente por qualquer ventinho, estou sendo perseguido por uns assassinos…

Goonies

O tesouro vira um detalhe, o negócio é a aventura, mais que a aventura, é a amizade. Acho que o que torna o livro mais legal que o filme [na minha humilde opinião] é sentir o carinho que o Mickey tem pelos amigos, por mais que o Bocão seja meio babaca, o Gordo desastrado, o Dado não consiga fazer nenhuma invenção funcionar direito, o Brand seja o típico irmão mais velho, e as meninas não acreditam que são Goonies também. Eles descobrem o quanto são importantes na vida uns dos outros, inclusive ele fala disso num trecho do livro, mas não vou quebrar a magia ;) No livro ele explica bem o que é ser um Goony, e bem, no final, você também vai estar fazendo o Juramento Goony:

Eu Jamais trairei meus amigos das Docas Goon,

Juntos ficaremos até o mundo inteiro acabar,

No céu, no inferno e na guerra nuclear,

Grudados feito piche, como bons amigos iremos ficar,

No campo ou na cidade, na floresta, onde for,

Eu me declaro um companheiro Goony

Para sempre, sem temor.

2 comments

  1. Rafael · March 21, 2014

    Eu ganhei esse livro e estou louco pra ler! Recentemente reassisti com meu filho e fiquei feliz em ver como essa história continua conquistando as pessoas (e não apenas a galera que viveu nos anos 80/90).

    A edição da Darkside está linda <3

  2. Pingback: #DldoTigre – Fechamento de Março “Filme ou Livro?” | Elvis Costello Gritou Meu Nome

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s