Propaganda enganosa

Engraçado como por mais sincera que eu seja, ainda posso me vender de forma errada para as pessoas:

Fulano : Bla bla bla como assim carente? bla bla

me: ??

Fulano: em pratos limpos, elisa vc parece não se importar quando um relacionamento termina bla bla bla

me: eu nao me importo qdo um relacionamento termina!?!?!?!?!?!?!?!

EU nao me importo?!?!?!?!!?! Fulano: é

me: EU of all people??????

E a conversa seguiu comigo (meio inconformada) explicando ao guri por que sou carente e que mal com o fim de um relacionamento.

Mas depois que a conversa acabou, parei pra pensar como a internet engana bastante. Pra quem me conhece ao vivo, me vê todo dia, segura minhas barras, é ÓBVIO que eu sou carente, mas pro Fulano, que fala comigo mais pela internet, isso não fica claro. E é fácil entender por que: eu uso a ironia a todo momento, na alegria ou na tristeza. Ao vivo, eu faço palhaçada, mas as pessoas vêm meu nariz e olhos vermelhos de chorar, e percebem facilmente que aquilo é só pra não ficar pior ainda. Na internet isso não é visível. O Fulano só lê minhas piadas, não existe (ainda) um sensor de lágrimas no teclado (e minha webcam não funciona).

Devo dizer que é a segunda vez em pouco tempo que eu vejo como a internet pode enganar. Além do Fulano, converso também com um Putinho pela internet, muito mais do que ao vivo. Pude notar que o Putinho é mais legal online!

Eu acho a internet, os IMs, Twitter, tudo isso muito foda: você conhece alguém, entra no orkut, follow no Twitter, conversa no MSN e é uma forma muito mais fácil de manter contato. Não fosse isso, acho que não seria amiga de Fulano, Putinho e muitos outros pseudonimos. Não vou entrar naquela lenga lenga de “a internet é uma faca de dois gumes, que une e afasta” por que acho isso tudo muito clichê, desnecessário e não concordo plenamente, mas deixa pra lá. Quando estou digitando tento ser o mais sincera o possível: como não vemos o outro, é perigoso deixar margem pra segundas interpretações, podemos ser entendidos de forma oposta à que queremos. Mesmo sem querer, meu amigo achou que eu agüentava de boa fins de namoro, quando na verdade, isso passa longe de mim.

Moral da história: Cuidado com a forma que vocês falam online, crianças! (parágrafo for dummies, para evitar mal-entendidos)

Advertisements

No bonde do Coringa

Não, isso não é um blog de fofoca, mas não posso deixar passar a morte do Heath Ledger. Não por que ele é lindo (o que é um fato), não por que tô louca pra ver ele de Coringa (o que também é um fato) mas por que como disse meu irmão “a morte dele virou um fenomeno digital”.
Incrível.


Em menos de, sei lá, 3 horas o cara foi encontrado pela empregada, (massagista, Mary Kate… Whatever), médicos foram lá, avisaram a família, a morte foi divulgada na internet, e de repente, em TODOS os lugares só se falava disso!
Comunidades do orkut, Twitter (que foi assim que eu fiquei sabendo aliás), fotologs, blogs… TUDO. Mais tarde até no Jornal Nacional teve notícia.
Hoje aliás, teve mais notícia…
Acho que nenhuma outra morte foi tão divulgada pela internet quanto essa. Talvez fosse por causa do Coringa, já que o novo Batman está próximo de ser lançado, talvez por que ele fosse gato, ou talvez seja só por que daqui pra frente as mortes vão ser noticiadas assim… Pelo twitter, blog e afins. Como dizem por aí é temdemsia. Do futuro eu não sei, mas que a morte do Heath Ledger foi um fenômeno midiático e vai ser comentada em aulas de Teoria da Comunicação, isso vai.

Ah, além do fato de que esse já tá no TOP 5 bafões do ano.

*Update*
Só pra fazer graça, vou por o trailer do Batman – The Dark Knight aqui pra quem não viu, ou quer ver de novo.


Fuck New Year


Não acredito muito nessa coisa da Ano Novo Vida Nova. Todos sempre espera o ano novo pra mudar coisas na vida, fazer algo diferente, normalmente envolvendo regimes e academias. Mas pra quê esperar pra mudar?
Acho que a qualquer momento é possível começar um ano novo. Depois de cada tombo ou conquista as coisas mudam, naturalmene, sem que haja imposição da data. Então por que não celebrar o início de novos anos quando você passa por algum momento decisivo? Feliz ano de emprego novo, feliz ano de casa nova, feliz ano de chifre, feliz ano de expulsão do colégio e por aí vai.

Acho que esses novos anos são muito mais sinceros e naturais do que um dia, a maior parte do mundo começar a mudar… Mesmo por que, promessas de ano novo nunca passam do carnaval. As promessas que nos fazemos em momentos de mudança valem se não para o resto da vida, pelo menos até o início de outro ano, em outra data, com outro acontecimento.

PS.: Não estou negando a importância do calendário gregoriano para nossa sociedade! Mas por que nós, simples indivíduos temos que ordenar nossas mudanças com o pagamento do IPVA?

À toa

Ser atéia de vez em quando é uma quenga!
A gente fica em cada saia justa…
Outro dia tava uma galera viajando, daí alguem falou: vamos rezar? VAMOOOS!!
E a Elisenha, que que faz? abaixa cabeça, fecha o olho e murmura.. só pra não ficar chato na câmera (sim, tavam filmando)
E no casamento? Além daquela senta levanta insuportável, tem todas aquelas frases que eu nunca soube, nem nunca vou saber, tem que rezar… ai meu Deus…
Daí DE NOVO tavam filmando, mas daí eu falei, “quer saber, dane-se” e não murmurei, nem fechei o olho, neem abaixei a cabeça! Aaa fiz a loka! Fiquei bem mudinha, sem abrir a boca, olhando pra câmera, quase em tom de desafio (uau!) ou pras pessoas em volta:o padre, os noivos, os padrinhos (entre eles meus pais) também rezando, mas praquele pequeno martírio acabar!

Depois do casório me ocorreu uma nova nota mental, na verdade, um pedido:
Não me chamem pra ser madrinha, fica aqui o registro para essa e paras próximas gerações de noivos, não me chamem pra abençoar a relação de vocês. Se vocês me amarem, me entenderão!

A gente soh reclama neh?
Quando era desempregada, nao fazia filmes nem cursos falava: mas a vida eh um tedio! nao tenho nada pra fazer, se fico em casa como e durmo! se saio gasto dinheiro em comida…
Agora, tenho emprego, 2 filmes, um curso e que que eu falo? que tenho muita coisa pra fazer, não tenho tempo, não durmo, não paro em casa…

Ê laiá!
Mas uma coisa não muda: eu continuo comendo muito!
Aliás, to com muita vontade de comer palha italiana, mas que disse que dá tempo??

Glass Ballerina

Quando crescemos nos fortalecemos (dã!) e ao mesmo tempo nos tornamos mais frios, e tudo isso nos torna menos inocentes. Isso só percebi recentemente… talvez por ser inocente demais…
Pensando bastante sobre essas coisas percebi o quão inocente eu sou:
Eu vejo inocencia como algo positivo, isso é algo muito naive: Pode ser uma gracinha ser ingênuo aos 20 anos, mas é também patético: você vai ser sempre passado pra trás se continuar assim.
Mas ao mesmo tempo, tornando-se mais frio, você pode nao ser sacaneado pelas outras pessoas, mas se torna tão cético que não consegue confiar em ninguém, é um auto sacaneamento.
Tenho medo de me tornar cética demais se tomar muitos tombos. Ao mesmo tempo que temo ser crédula de mais e tomar mais tombos.
Como equilibrar inocência e frieza?

The remembers

Essa samana estava assistindo Scrubs, que eu não via há tempos, e era justamente um episódio Remember: clipes de vários momentos da série, a maioria que eu não tinha visto da primeira vez, mas que eu adorei! Só por ser daquele jeito.
Acho que os melhores episódios de Friends são os remembers também. Acho que por que você não consegue pegar fôlego entre uma cena e outra e se mata de rir até o comercial

Por que será que todo mundo adora um remember? Por que neles sempre estão apenas os melhores momentos? Nunca vi ninguém lembrando dos momentos de briga de um relacionamento, uma série mostrando as piores piadas que eles já fizeram…

Remember é bom por que só lembramos das melhores partes, o que é ruim a gente lembra sozinho, ou com uma panela de brigadeiro! Mas aí o remember também fica bom, afinal tudo com brigadeiro cai bem!

Bjus de uma pessoa que ADOOOOOORA um Remember! :)