Cílios

Sempre que ouço a música Folding Chair, da Regina Spektor, eu me pego pensando sobre um verso específico:

I’ve got a perfect body, though sometimes I forget
I’ve got a perfect body cause my eyelashes catch my sweat
As pessoas esquecem que um corpo perfeito não é um corpo magrinho, musculoso, zero de gordura. Um corpo perfeito é aquele em que cada pedaço faz exatamente o que ele deve fazer. No caso da música, os cílios servem pra impedir que o suor caia no olho e é isso que eles fazem!
Da próxima vez que você disser fulana tem um corpo perfeito lembre que, provavelmente, você também tem. Tudo funciona como deveria e você deveria ficar feliz com isso.

iVitrola – Daft Punk

iVitrola – Daft Punk – Harder, Better, Faster, Stronger

Ultimamente o que tem me animado na vitrolinha de bolso é uma música do Daft Punk. Não, eu não costumo ouvir música eletrônica, mas essa… É sensacional! Eu conheci a música através do vídeo que duas meninas fizeram, chamado de Daft Body. Não deixem de ver no VocêTubo.

A música tem basicamente 2 frases que se repetem over and over, mas cada hora com um efeito diferente, chegando ao ponto de nem parecer realmente a voz do cara, então não fica chato. Muito pelo contrário, é impossível você não mexer, pelo menos, o pé!

Mesmo se não for seu estilo de música vale à pena ver o vídeo no mínimo.

Ludoviajando

Estava até agora no show do Ludov, o show foi FODA, e milhões de coisas passaram pela minha cabeça enquanto ouvia as músicas do Disco Paralelo, covers e algumas dos outros álbuns.
Uma delas foi que todos lá, mas principalmente a Vanessa Krongold tem uma senhoura presença de palco. Ela conversa com o público, e mostra todo um carinho por nós, e eu acho isso demais, nem toda banda é assim.
Essa semana mesmo meu amigo foi ao show do Interpol e ficou frustradíssimo, disse que parecia que a banda tocava pra eles mesmos. Cada um num canto. O Ludov não é nada assim! Além deles dividirem a música entre si, interagirem e até trocarem os instrumentos, eles dividem com a platéia.
A Vanessa parece que nasceu pra estar num palco, pra cantar, e eu morro de inveja. Eu queria saber cantar e/ou tocar algo pra subir no palco e me acabar: pular, esticar o microfone pra platéia, dançar… Ouvir outras pessoas cantando as minhas músicas, se esgoelando por algo que eu fiz.
Eu amo cinema, mesmo, mas acho que só no palco, no teatro, mas principalmente na música você pode ver o quanto o público gosta do que você faz, a resposta é imediata, e isso é lindo. Logo no início do show a vocalista tirou o retorno da orelha, depois explicou: Com o retorno eu só posso me ouvir, então resolvi tirar pra escutar vocês cantando. A Cat Power também fez algo parecido quano pediu pro público levantar das cadeiras e se aproximar do palco.
Eu queria fazer as pessoas sentirem, e no fundo ser músico é isso: você diz ou toca (literalmente) sentimentos.

O Plano Mudou

Sexta feira, 9 da noite, o sono comendo solto. Posto às cegas da monitoria através do Google Docs. Sem chance de ver qualquer filme, escrevo sobre uma música. Eu já achava ela ótima, agora a primeira estrofe representa minha vida! Perfeitamente. Como meus followers do Twitter já estão cansados de saber, não agüento mais minha monitoria e quero muito um emprego. Essa semana achei que algo rolaria: 2 entrevistas em 3 dias parecia um sinal. Mas nada aconteceu. Minha amiga está empregada, (disputamos a mesma vaga numa dessas entrevista e ela se saiu melhor PARABÉNS JÚ) eu saí aos pulos comemorando com ela, que precisava/queria aquele (ou qualquer) emprego tanto quanto eu. Mas quando a hora de entrar aqui foi chegando, me bateu de novo o pânico “Chega, cansei, quero outro emprego” que tinha saído deste corpo. À tarde fiquei ouvindo Wonkavision com o Murilo e ouvimos a música tema deste post, e achei por bem mafragafar um pouquinho.

Pra ouvir a música clique AQUI e pra ler a letra AQUI. Vale lembrar que o quarteto (ou trio? nunca sei!) está lançando singles pra download grátis no site. O Ímpar Perfeito já tá na playlist, agora o novo Double Dealing ainda nem ouvi! Mas já vi o que seria a capa:

Repito: esse post é às cegas, talvez as imagens estejam muito grandes. Em casa arrumo!

Como disse no começo do post, eram 9 horas, agora são 9:30 e ainda não está totalmente pronto! PC bom não é?

E como diria o ratinho do Castelo Rá-Tim-Bum depois do banho: Agora acabou!

365days

Acabei de entrar pro grupo 365days do Flickr. Um projeto criado pra você fazer 365 auto retratos. Um a cada dia. Hoje é o meu dia 1, será que eu consigo fazer fotos todos os dias? Sem pular nenhum? Por um ano inteiro? Não custa tentar, ?
Essa foi minha primeira foto:


Tava ouvindo Marina de la Riva to iPhode, ela é o máximo gente! Recomendo muito forte o disco dela, homônimo. Tem participação de Chico Buarque em uma das músicas! Lindo, mas outro dia eu falo mais sobre ela.
Visitem lá, todos os dias uma foto nova no Flickr!

Flaws and All – Beyoncé

Antes que todo mundo comece a jogar pedras deixe-me explicar o por que dessa música!

Depois de bilênios fui ver Mtv, e começou o clip novo da Beyoncé, resolvi assistir. Quase uma experiência antropológica.


O clip começa bem brega com um ventilador na cara da moça, no meio do show. Daí ela começa a cantar e a música fala de uma moça cheia de defeitos e tudo mais (Flaws and all, pegou?) clichê, sussa… Peculiar ver a Beyoncé que posa de gostosona cantando sobre isso.

A melhor parte do clip é quando ela fala “I’m a host of imperfection” e chacoalha a banha do braço! Hahaha sensacional… daí ela me ganhou!
Mas isso já é lá pro fim da música, e logo depois escorre uma lágrima do olho da menina… daí pensei! Ah! Palhaçada! hahaha apelou perdeu né Beyoncé!!

Se alguém tiver afim de ver fique avontis

Leia a letra

Veja o vídeo

É isso aí!