Brincadeirinha de blog

“Comente e eu vou te dar uma letra; depois você TEM QUE listar seis coisas que você adora que comecem com aquela letra. Depois, poste no seu blog com essas instruções, pra que você possa sair distribuindo letrinhas também.”

É tipo uma corrente, mas você não vai pro inferno se ler e não responder, ou se não mandar pra 973 pessoas esse texto. Você participa se quiser, nada obrigatório.

É inofensiva e é um belo Mimimi pro blog.

Então vamos lá! 6 coisas (6? é um numero tão esquisito!!pq não 5 ou 7?!) que eu adouro com a letra “C”.

Fácil, a primeira de todas, sempre:

1- Cinema! A sétima arte me cativa como nenhuma outra, não vivo mais sem filmes, sem ver ou fazer. Com certeza é a primeira da lista mesmo, apesar de não ser em ordem de preferencia. Não sei explicar bem por que amo tanto cinema. Além do mais ia virar uma viagem muito grande discutir esse tema, e não vale a pena nem começar no meio de uma lista!

2- Chocolate! Essa também é simples, uma das “coisas com C” favoritas da torcida do flamengo e do corinthians, e de alguns suiços. Preto ou branco, derretido ou não, no leite ou puro. Chocolate. Sempre. Tudo fica bom, e nada pode ficar ruim com esse ingrediente na receita. FA-TO! Quiça cientifico!

3- Cat Power! Devo dizer que demorou um tempo pro nome da minha musa vir à cabeça, mas quando rolou o pop-up com a cara dela, não tinha como não coloca-la nessa lista. Por que? Ora bolas, ela é linda, canta bem, é fofa, e fez eu me apaixonar (UMA MULHER!!) da primeira vez que a vi. (mentira, tinha visto 2 videos no youtube, mas não vale, a qualidade é baixa) Ela tocou na minha mão – e demais metade das pessoas no show. Enfim, ela é a mulher dos meus sonhos! Aliás, muito lésbico ter ela na lista e não algo como “Clooney”, ou “Cruise”, aproveito pra acrescentar que se a letra permitisse não pensava duas vezes pra pôr “Depp” ou “Selton”.

4- Cama! Antes tinha pensado em “capuccino” mas pecebi que entre uma cama e um capuccino, prefiro a primeira opção. Fora que capuccino é uma coisa muito whatever pra ser citada numa lista tão pequena. Cama é quentinha, aconchegante, pode ser usada sozinha ou em dupla. (tem quem use com três ou mais pessoas, mas… sei lá, não sou dessas) E não é só pra dormir: ver filme, ler, escrever, pensar, postar, jogar video game, e por aí vai…

5- Comentários! Tão tolo quanto o deletado “capuccino”, mas é um fato, eu fico feliz da vida quando recebo um e-mail dizendo que “POST X TEM UM COMENTÁRIO NOVO”, fico orgulhosa e me sinto como uma blogueira gente grande. E atitudes como essa mostram que não sou!

6- Chuva! Essa é paradoxal. Ao mesmo tempo que AMO chuva, posso detestá-la quando vem em momentos inapropriados. O que são momentos inapropriados, vocês me perguntam: Quando eu estou indo para uma entrevista de emprego. Quando eu estou de mal-humor. Quando estou atrasada. Ela é genial quando eu estou de bom humor e quero sentir pingos no rosto (clichê alert!!). Quando estou sem a mínima pressa. Quando ando ouvindo música. Quando posso ficar o dia em casa, ver filme, comer palha italiana…

.

.

.

Resolvi extender um pouco a brincadeira e listar também coisas que eu detesto. Também, todas com “C”:

1- Celular – Pra quem não sabe, eu ODEIO falar ao telefone, e odeio mais ainda o celular. Eu tenho a séria impressão que sou surda, então é muito difícil me comunicar oralmente (sem trocadilhos) sem ver a pessoa. Não me importo em ser achada em qualquer lugar como todo mundo reclama. O celular também bomba a carência: ninguém me liga, nem meu amigo viado!

2- Chuva – já falei acima, não vou repetir!

3- Chulé – Não preciso nem explicar né? Em você ou nos outros é péssimo, desconfortável. É um elefante branco! TODOS sabem que está lá e ninguém diz nada. E como o maldito incomoda, affe!

4- Calor – Você sua feito um suíno,e não importa quanta água beba, quanto sorvete tome ou quanta salada coma, nada faz aquilo sair de você. É nojento como o chulé. E pegar ônibus no calor? as seis da tarde? Hmmm delícia!

5- Crises – Fazer a drama queen as vezes é legal, mas o tempo todo não dá né? Cansa você e quem está ao seu redor. Pode deixar as pessoas de mal-humor, acabar com namoros, gerar crises maiores ainda. Eu reclamo das crises por que sou rainha delas.

6- Cruise – Ele é um pé no saco! Ele e a Cientologia (olha o C de novo) bizarra dele me irritam profundamente. Os pulos no sofá (da Oprah, né?), a esposa de boca torta “I-Love-Dawson” dele. Acho que só a filha de nome esquisito-que-eu-não-lembro-como-é não me irrita… ainda! Espera ela começar a falar cientológicamente! Quase me esqueço que ele era casado com a Nicole Kidman… Tipo? Ela que acordou pra doideira dele ou ele que cansou da normalidade dela?

That’s all folks!

Ãpdeits:

1- Pronto, imagens ajustadas! Agora sim, That’s all folks!

2- Fulano, já reparou qual o título da tag “mimimi” nesse blog? Tem tudo a ver com o nome da brincadeira!

Advertisements

Propaganda enganosa

Engraçado como por mais sincera que eu seja, ainda posso me vender de forma errada para as pessoas:

Fulano : Bla bla bla como assim carente? bla bla

me: ??

Fulano: em pratos limpos, elisa vc parece não se importar quando um relacionamento termina bla bla bla

me: eu nao me importo qdo um relacionamento termina!?!?!?!?!?!?!?!

EU nao me importo?!?!?!?!!?! Fulano: é

me: EU of all people??????

E a conversa seguiu comigo (meio inconformada) explicando ao guri por que sou carente e que mal com o fim de um relacionamento.

Mas depois que a conversa acabou, parei pra pensar como a internet engana bastante. Pra quem me conhece ao vivo, me vê todo dia, segura minhas barras, é ÓBVIO que eu sou carente, mas pro Fulano, que fala comigo mais pela internet, isso não fica claro. E é fácil entender por que: eu uso a ironia a todo momento, na alegria ou na tristeza. Ao vivo, eu faço palhaçada, mas as pessoas vêm meu nariz e olhos vermelhos de chorar, e percebem facilmente que aquilo é só pra não ficar pior ainda. Na internet isso não é visível. O Fulano só lê minhas piadas, não existe (ainda) um sensor de lágrimas no teclado (e minha webcam não funciona).

Devo dizer que é a segunda vez em pouco tempo que eu vejo como a internet pode enganar. Além do Fulano, converso também com um Putinho pela internet, muito mais do que ao vivo. Pude notar que o Putinho é mais legal online!

Eu acho a internet, os IMs, Twitter, tudo isso muito foda: você conhece alguém, entra no orkut, follow no Twitter, conversa no MSN e é uma forma muito mais fácil de manter contato. Não fosse isso, acho que não seria amiga de Fulano, Putinho e muitos outros pseudonimos. Não vou entrar naquela lenga lenga de “a internet é uma faca de dois gumes, que une e afasta” por que acho isso tudo muito clichê, desnecessário e não concordo plenamente, mas deixa pra lá. Quando estou digitando tento ser o mais sincera o possível: como não vemos o outro, é perigoso deixar margem pra segundas interpretações, podemos ser entendidos de forma oposta à que queremos. Mesmo sem querer, meu amigo achou que eu agüentava de boa fins de namoro, quando na verdade, isso passa longe de mim.

Moral da história: Cuidado com a forma que vocês falam online, crianças! (parágrafo for dummies, para evitar mal-entendidos)

Ludoviajando

Estava até agora no show do Ludov, o show foi FODA, e milhões de coisas passaram pela minha cabeça enquanto ouvia as músicas do Disco Paralelo, covers e algumas dos outros álbuns.
Uma delas foi que todos lá, mas principalmente a Vanessa Krongold tem uma senhoura presença de palco. Ela conversa com o público, e mostra todo um carinho por nós, e eu acho isso demais, nem toda banda é assim.
Essa semana mesmo meu amigo foi ao show do Interpol e ficou frustradíssimo, disse que parecia que a banda tocava pra eles mesmos. Cada um num canto. O Ludov não é nada assim! Além deles dividirem a música entre si, interagirem e até trocarem os instrumentos, eles dividem com a platéia.
A Vanessa parece que nasceu pra estar num palco, pra cantar, e eu morro de inveja. Eu queria saber cantar e/ou tocar algo pra subir no palco e me acabar: pular, esticar o microfone pra platéia, dançar… Ouvir outras pessoas cantando as minhas músicas, se esgoelando por algo que eu fiz.
Eu amo cinema, mesmo, mas acho que só no palco, no teatro, mas principalmente na música você pode ver o quanto o público gosta do que você faz, a resposta é imediata, e isso é lindo. Logo no início do show a vocalista tirou o retorno da orelha, depois explicou: Com o retorno eu só posso me ouvir, então resolvi tirar pra escutar vocês cantando. A Cat Power também fez algo parecido quano pediu pro público levantar das cadeiras e se aproximar do palco.
Eu queria fazer as pessoas sentirem, e no fundo ser músico é isso: você diz ou toca (literalmente) sentimentos.

Mimimi

Pro post ter mimimi até no título vocês devem estar assustados!
Já tem um tempo escrevi esse pseudo-poema, e sempre esqueço de postar aqui…
Tá rolando toda uma vergonha por que afinal, eu não divulgo os rarissimos poemas que eu escrevo… Sejam gentis nos comentários! haha

Ele usa Adidas / Eu uso All Star

Ele prefere verde, marrom e azul / Eu visto vermelho, branco e preto

Ele gosta de listras / Eu adoro bolinhas

Ele ouve Dylan e Cash / Escuto Ludov e Cat Power

Kubrick e Clint Eastwood são seus favoritos / Eu prefiro Hitchock e Burton

Ele ama chuva / Eu sol

Nos dias nublados vemos Fellini e dormimos ao som de Vanguart sob um cobertor xadrez *

* Não consegui manter o layout original do poema por que meio que não cabe =/

Pautaria na Paulista

Depois de uma semana sem nem dar as caras, peço desculpas! A vida está uma loooucura e o sono não tem me permitido ver filmes, muito menos comentar sobre eles.

Em breve falarei sobre o Monty Pythin, sobre a Fest Comix, mas hoje o tema é o cazzo da reforma da paulista.

É humanamente impossível andar por aquela avenida, acho que só umas 3 calçadas entre a estação Trianon-Masp e a Avenida Consolação não têm labirintos para o pedestre caminhar. É o diabo, eu ando depressa, principalmente quando estou atrasada, e não sou a única. São Paulo é dos apressados, A PAULISTA é dos apressados! não tem como você impedir metade do fluxo quando quem anda por lá tá sempre querendo passar por cima dos outros.

Além do incômodo pra andar, é difícil conversar por causa das britadeiras, é difícil comer por que tem sempre que estar olhando pra onde você está indo para não acabar com o pé enfiado em concreto fresco!

A única coisa que não posso reclamar é dos pedreiros, nunca ouvi nenhum deles assobiando ou qualquer coisa do gênero para as moças que passam por lá todo dia.

Uma coisa que eu não entendo é POR QUE nao reformar aos poucos, por que tem que esburacar 4 quarterões perto da Consolação e mais 4 quarterões perto da Brigadeiro.

Enfim, fica aqui a minha reclamação, e a de muitos outros.

Estava eu tentando descobrir algo para fazer no fim de semana quando me deparo com uma enquete cuja pergunta era se o “governo deve coibir a construção de moradias em favelas”. as opçoes eram proibir e demolir as existentes e nao, os desfavorecidos precisam de alternativa. Eu resopndi que não. Minha linha de raciocínio: cazzo! qq vai fazer com o bando de gente que já mora lá? E o povo que só tem essa opção? larga na rua???

Então, depois de responder apareceu a resposta:

O governo deve coibir a construção de moradias em favelas?

Além de proibir, deveria demolir o que já existe

» 64,04%

Não, os desfavorecidos precisam de uma alternativa

» 35,96%

Fiquei chocada! Como assim? O que essas pessoas que responderam “sim” pretendem fazer com esse monte de gente? Dar um cômodo na própria casa é que não é. Nem quer vê-los na rua. Isso é igual a um canteiro que a D. Marta relaxa-e-goza criou perto da minha casa pra impedir que os mendigos vivessem embaixo do pontilhão. Funcionou por muitos anos, mas desde o ano passado tem gente morando lá. Em cima de um monte de terra e grama. E aí?

Não acho que as favelas são bonitas, enriquecem a arquitetura da cidade. Mas enquanto não criam outra alternativa, tipo colocá-los em prédios vazios e em bom estado, exatamente os que são invadidos de vez em quando, acho que as favelas são as melhores saídas.

Talvez as pessoas tenham respondido isso por que as maiores favelas de são paulo se encontram lado a lado a bairros de luxo, e os milionarios se sintam incomodados pelos vizinhos. Mas até aí, nessas favelas não existe só violência, assim como não existe violência só na favela.

De qualquer forma acho que nada justifica você dizer que deixaria milhares de pessoas desabrigadas.

Não, não sou petista, nem comunista, nem nada do tipo. Só acho que todos têm que ter acesso a um mínimo de coisas. Falta tanto pra eles, pelo menos uma casa de papelão eles devem ter garantido.

Hipermoderno

Resolvi modernizar!
Aproveitando que tô com tempo pro blog depois de uma semana ausente, resolvi acrescentar, tirar, arrumar, mudar coisas no blog, como vocês já devem ter notado.
Mudei o título, ficou extremamente egocêntrico, mas acho que o “andei pensando” não cabia mais tanto à proposta do blog, já que não ando pensando em nada de bom que vale ser postado e o que tem bombado são mesmo as críticas.
Escolhi Mafragafos em homenagem àquele trava língua dos 5 mafagafinhos que meu tio adaptou pro clã dos Mafra. Aí vocês perguntam de onde cazzo eu tirei aquele monstrenguinho do título do blog. Da desciclopédia, claro! Aparentemente essa é a forma de um mafagafo. Aliás, eu achei ele fofíssimo e quero um pra mim!
Enfim, coloquei os livros que pretendo ler na coluna da direita e estou tentando descobrir como por last.fm e flickr lá também.
Estamos sempre trabalhando para melhor servi-los!
Gostaram?